• Anúncio Global
    Respostas
    Exibições
    Última mensagem

exercicio proposto:gradiente

exercicio proposto:gradiente

Mensagempor adauto martins » Ter Jun 28, 2016 11:05

mostre q. a direçao do gradiente de uma funçao f:V\rightarrow V,onde V é um espaço vetorial sobre um corpo K é dado por:
\theta=arctg({f}_{x}/{f}_{y}),onde {f}_{x},{f}_{y} sao derivadas parcias e \theta um angulo do circulo trigonometrico.
adauto martins
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 679
Registrado em: Sex Set 05, 2014 19:37
Formação Escolar: EJA
Área/Curso: matematica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor adauto martins » Ter Jun 28, 2016 14:54

uma correçao:
\theta=-arctg({f}_{x}/{f}_{y})
adauto martins
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 679
Registrado em: Sex Set 05, 2014 19:37
Formação Escolar: EJA
Área/Curso: matematica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor e8group » Dom Jul 03, 2016 21:06

Olá pelo que eu sei o conceito de gradiente se restringem as aplicações escalares (i.e. , funções definidas num aberto (ou subconjuntos mais gerais de ) K^n valorada em K , onde K pode ser tanto os reais quanto os complexos .. Não pode ser um corpo arbitrário , se não cai no problema de não ter ponto acumulação .. Pensa num negocio esquisito como \mathbb{Z}_{5} etc .. ) .. Para falar de ângulo é preciso ter produto interno então qm sabe há uma generalização para Hilbert spaces .. para aplicações entre espaços de Banach (podendo ser não completo contitua fazendo sentido ) a noção de derivada num ponto faz sentido , mas agora será uma transformação afim que melhror aproxima a função perto do ponto ... De forma análoga , a noção de derivada parcial faz sentido para função entre espaços normados só que agora o espaço precisa ser decomposto como soma direta para introduzir tal definição ..
e8group
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 1400
Registrado em: Sex Jun 01, 2012 12:10
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Engenharia Elétrica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor adauto martins » Seg Jul 04, 2016 10:56

caro santiago,
vc estuda matematica?ou...?...
pelo visto como te disse a um tempo atras,e creio vc verificou,vc tira matematica nao sei de onde?desculpe-me...mas vc tem q. rever seus estudos de matematica...
gradiente é uma funçao vetrorial q.indica a direçao de maior crescimento de uma superficie(isso no caso de tratarmos de funçao no plano ou espaço)...o valor do gradiente é escalar,ai sim...procure rever seus conceitos,em especial de produto interno de espaços,ou espaços vetoriais finitos com produto interno e etc...
adauto martins
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 679
Registrado em: Sex Set 05, 2014 19:37
Formação Escolar: EJA
Área/Curso: matematica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor e8group » Seg Jul 04, 2016 12:56

Olá , convenhamos , quem precisar rever seus conceitos é vc ! Pegue um bom livro de analise matemática e veja a def. de gradiente ou bom livros de calculus no R^n ..
Dada uma função (escalar) f : U  \subset \mathbb{R}^n \longrightarrow   \mathbb{R} .. Se a \in U for ponto de acumulação de U e as derivadas parciais de f (que vou denotar-lás por D_1(f)(a), \dots , D_n(f)(a) , como uma notação sugestiva para a generalização , para espaços mais gerais até de dim infinita ) .. Define-se então o vetor Grad(f)(a) := (   D_1(f)(a) , \hdots ,  D_n(f)(a)) \in \mathbb{R}^n .. Agora , se U for aberto , todos os ponto dele serão de acumulação [Bom exercício ! Se não fez , faça ] , e se todas derivadas parciais de f existirem em todos pontos de U , a correspondência

x \in U \mapsto grad(f)(x)  \in \mathbb{R}^n define uma função (vetorial ) grad(f) : U \longrightarrow \mathbb{R}^n .

Lembrando que a notação grad não é universal ..

Engraçado que a definição acima não condiz com seu argumento

"... o valor do gradiente é escalar,ai sim...procure rever seus conceitos,em especial de produto interno de espaços,ou espaços vetoriais finitos com produto interno e etc... "

Agora , há uma noção muito boa de diferenciabilidade para funções entre espaços normados (não necessariamente de dimensão finita ) , so que agora a derivada de desta função em um ponto não será mais um número , e sim uma transformação linear chamada Fréchet derivada ..

Veja aqui : https://en.wikipedia.org/wiki/Fr%C3%A9chet_derivative

Observe que lá exige mais um pouco ainda que o espaço normado seja completo (no seq de cauch nele é convergente ) , i.e, que els seja um Banach space .. Isto é meramente por razões técnicas para fazer teoria com tal def ...

Pesquisando e ampliando os horizontes ... Verá que não só tem uma verão de analise calculo ODE PDE em espaço Banacch como em variedades diferenciáveis ..
Variedades diferenciavesi são mt importantes e aparece em mts problemas de sistemas dinamicos ..
e8group
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 1400
Registrado em: Sex Jun 01, 2012 12:10
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Engenharia Elétrica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor adauto martins » Seg Jul 04, 2016 16:21

blabla,blabla santiago...
estude matematica mesmo e pare de copiar do wiki,ou livros q. vc nao entende nada...
primeiramente um espaço vetorial e definido sobre um corpo...vc cita {z}_{5},q. nao é corpo,é grupo...
o menor corpo é Q(prove isso!se vc entender ne)...nao direi nada sobre espaços de banach,hilbert q. ne,se vc nao sabe o q. é um espaço vetorial?entao...
melhor vamos a sol.:
vou considerar f:{R}^{3}\rightarrow {R}^{3},somente pra efeito de sintese,de ilustraçao,depois ,uma outra hora faço p/(f:V\rightarrow V)...
como sabemos o vetor gradiente é sempre perpendicular a curva de nivel,no caso z(x,y)=c...qquer ponto dessa curva é dado pelo vetor posiçao(x,y),cujo unitario pode ser dado por u=(cos\theta,sen\theta),logo \nabla f(x,y).u=0,onde \nabla f(x,y) é o vetor gradiente...logo,
\nabla f(x,y).u=({f}_{x},{f}_{y}).(cos\theta,sen\theta)=0\Rightarrow {f}_{x}.cos\theta + {f}_{y}.sen\theta=0\Rightarrow tg\theta=-{f}_{x}/{f}_{y}\Rightarrow \theta=artg(-({f}_{x}/{f}_{y})),como a funçao arctg é uma funçao impar(prove isso!se entender)\Rightarrow \theta=-artg({f}_{x}/{f}_{y})...cqd...
adauto martins
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 679
Registrado em: Sex Set 05, 2014 19:37
Formação Escolar: EJA
Área/Curso: matematica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor e8group » Seg Jul 04, 2016 17:33

Seu post só mostrar o quanto vc é ignorante e não tem se quer a humildade .. Meu caro , para ser um bom matemático pesquisador , primeiro vc precisa de uma boa base , para fazer matemática do século 21 ... Mas para isso isso não vem do nada .. E é preciso estudar toda a matemática que já estar ai a séculos ...

adauto martins escreveu:blabla,blabla santiago...
estude matematica mesmo e pare de copiar do wiki,ou livros q. vc nao entende nada...
primeiramente um espaço vetorial e definido sobre um corpo...vc cita {z}_{5},q. nao é corpo,é grupo...


Tem certeza ? Acho que vc precisa estudar mais álgebra abstrata ...

E mesmo se vc apenas um anel ... Os elementos deste anel poderia fazer os papel dos escalares (em um corpo ) oq exatamente a ideia da teoria de modules ..

(\mathbb{Z}_5,+,.) é corpo sim ! Na verdade (\mathbb{Z}_{p} , +, .) é corpo se e seomente p é primo !

E ainda qualquer domínio de integridade finito é um corpo ...

Humildade cara é bom ...
e8group
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 1400
Registrado em: Sex Jun 01, 2012 12:10
Formação Escolar: GRADUAÇÃO
Área/Curso: Engenharia Elétrica
Andamento: cursando

Re: exercicio proposto:gradiente

Mensagempor adauto martins » Seg Jul 04, 2016 18:50

ai é so isso q. vc tem,entao nao perderei meu tempo com vc...vai estudar matematica,matematica mesmo...
adauto martins
Colaborador Voluntário
Colaborador Voluntário
 
Mensagens: 679
Registrado em: Sex Set 05, 2014 19:37
Formação Escolar: EJA
Área/Curso: matematica
Andamento: cursando


Voltar para Cálculo: Limites, Derivadas e Integrais

 



  • Tópicos relacionados
    Respostas
    Exibições
    Última mensagem

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 9 visitantes

 



Assunto: método de contagem
Autor: sinuca147 - Seg Mai 25, 2009 09:10

Veja este exercício:

Se A = {x \in Z \hspace{1mm} | \hspace{1mm} \frac{20}{x} = n, n \in N} e B = {x \in R \hspace{1mm} | \hspace{1mm} x = 5m, m \in z}, então o número de elementos A \cap B é:

Eu tentei resolver este exercício e achei a resposta "três", mas surgiram muitas dúvidas aqui durante a resolução.

Para determinar os elementos do conjunto A, eu tive de basicamente fazer um lista de vinte dividido por todos os números naturais maiores que zero e menores que vinte e um, finalmente identificando como elementos do conjunto A os números 1, 2, 4, 5, 10 e 20. Acho que procedi de maneira correta, mas fiquei pensando aqui se não existiria um método mais "sofisticado" e prático para que eu pudesse identificar ou ao menos contar o número de elementos do conjunto A, existe?

No processo de determinação dos elementos do conjunto B o que achei foi basicamente os múltiplos de cinco e seus opostos, daí me surgiram estas dúvidas:

existe oposto de zero?
existe inverso de zero?
zero é par, certo?
sendo x um número natural, -x é múltiplo de x?
sendo z um número inteiro negativo, z é múltiplo de z?
sendo z um número inteiro negativo, -z é múltiplo de z?

A resposta é 3?

Obrigado.


Assunto: método de contagem
Autor: Molina - Seg Mai 25, 2009 20:42

Boa noite, sinuca.

Se A = {x \in Z \hspace{1mm} | \hspace{1mm} \frac{20}{x} = n, n \in N} você concorda que n só pode ser de 1 a 20? Já que pertence aos naturais?
Ou seja, quais são os divisores de 20? Eles são seis: 1, 2, 4, 5, 10 e 20.
Logo, o conjunto A é A = {1, 2, 4, 5, 10, 20}

Se B = {x \in R \hspace{1mm} | \hspace{1mm} x = 5m, m \in z} você concorda que x será os múltiplos de 5 (positivos e negativos)? Já que m pertence ao conjunto Z?
Logo, o conjunto B é B = {... , -25, -20, -15, -10, -5, 0, 5, 10, 15, 20, 25, ...

Feito isso precisamos ver os números que está em ambos os conjuntos, que são: 5, 10 e 20 (3 valores, como você achou).

Vou responder rapidamente suas dúvidas porque meu tempo está estourando. Qualquer dúvida, coloque aqui, ok?

sinuca147 escreveu:No processo de determinação dos elementos do conjunto B o que achei foi basicamente os múltiplos de cinco e seus opostos, daí me surgiram estas dúvidas:

existe oposto de zero? sim, é o próprio zero
existe inverso de zero? não, pois não há nenhum número que multiplicado por zero resulte em 1
zero é par, certo? sim, pois pode ser escrito da forma de 2n, onde n pertence aos inteiros
sendo x um número natural, -x é múltiplo de x? Sim, pois basta pegar x e multiplicar por -1 que encontramos -x
sendo z um número inteiro negativo, z é múltiplo de z? Sim, tais perguntando se todo número é multiplo de si mesmo
sendo z um número inteiro negativo, -z é múltiplo de z? Sim, pois basta pegar -z e multiplicar por -1 que encontramos x

A resposta é 3? Sim, pelo menos foi o que vimos a cima


Bom estudo, :y:


Assunto: método de contagem
Autor: sinuca147 - Seg Mai 25, 2009 23:35

Obrigado, mas olha só este link
http://www.colegioweb.com.br/matematica ... ro-natural
neste link encontra-se a a frase:
Múltiplo de um número natural é qualquer número que possa ser obtido multiplicando o número natural por 0, 1, 2, 3, 4, 5, etc.

Para determinarmos os múltiplos de 15, por exemplo, devemos multiplicá-lo pela sucessão dos números naturais:

Ou seja, de acordo com este link -5 não poderia ser múltiplo de 5, assim como 5 não poderia ser múltiplo de -5, eu sempre achei que não interessava o sinal na questão dos múltiplos, assim como você me confirmou, mas e essa informação contrária deste site, tem alguma credibilidade?

Há e claro, a coisa mais bacana você esqueceu, quero saber se existe algum método de contagem diferente do manual neste caso:
Para determinar os elementos do conjunto A, eu tive de basicamente fazer um lista de vinte dividido por todos os números naturais maiores que zero e menores que vinte e um, finalmente identificando como elementos do conjunto A os números 1, 2, 4, 5, 10 e 20. Acho que procedi de maneira correta, mas fiquei pensando aqui se não existiria um método mais "sofisticado" e prático para que eu pudesse identificar ou ao menos contar o número de elementos do conjunto A, existe?